Páginas

Obs:

Obs:

AMIGOS SEGUIDORES

quinta-feira, abril 05, 2012

QUAL O VERDADEIRO SIGNIFICADO DA PÁSCOA?

Qual o verdadeiro significado da Páscoa? 

Neste final de semana a cristandade comemora a festa religiosa da Páscoa. Você sabe o que isso significa?

Do hebreu Peseach, “páscoa” significa, num certo sentido, a passagem da escravidão para a liberdade. Comumente associada à morte e ressurreição de Cristo, a Páscoa tem sua origem no Antigo Testamento, que nos faz compreender melhor a razão dessa festa comemorada pelos cristãos. Ela é a maior festa do cristianismo e, naturalmente, de todos os cristãos.

A páscoa é para Israel o que o dia da independência é para um país, e mais nada. O último juízo sobre o Egito e a provisão do sacrifício pascoal possibilitaram o livramento da escravidão e a peregrinação do povo para a terra prometida.

A páscoa é, segundo o Novo Testamento, um símbolo profético da morte de Cristo, da salvação e do andar pela fé a partir da redenção (1 Co. 5.6-8). Além do livramento do Egito, a páscoa se constitui em primeiro dia do ano religioso dos hebreus e o começo de sua vida nacional.

Segundo Paul Hoff, em seu livro “O Pentateuco”, “páscoa” significa “passar de largo”, pois o anjo destruidor passou de largo as casas onde havia sido aplicado o sangue nas ombreiras e na verga da porta.

Os detalhes do sacrifício e as ordenanças que o acompanhavam são muito significativos. O animal para o sacrifício devia ser um cordeiro macho de um ano, isto é, um carneiro plenamente desenvolvido e na plenitude de sua vida. Assim Jesus morreu quando tinha 33 anos aproximadamente. O cordeiro tinha de ser sem mácula. Para assegurar que assim fosse os israelitas o guardavam em casa durante quatro dias. De igual maneira Jesus impecável foi aprovado durante quarenta dias no deserto.

O cordeiro foi sacrificado, pela tarde, como substituto do primogênito. Por isso morreram os primogênitos das casas egípcias que não creram. Aprendemos que “o salário do pecado é a morte”, porém Deus proveu um substituto que “foi ferido pelas nossas transgressões”.

Os israelitas tinham de aplicar o sangue nas ombreiras e na verga das portas, indicando sua fé pessoal. No Cristianismo não basta crer que Cristo morreu pelos pecados do mundo; somente quando pela fé o sangue de Jesus é aplicado ao coração da pessoa está ela salva da ira de Deus. O anjo exterminador representa a sua ira.

As pessoas tinham de permanecer dentro de casa, protegidas pelo sangue. “Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação?” (Hb. 2.3).

Desejando Deus que seu povo se lembrasse de sempre da noite do seu livramento, instituiu a festa da páscoa como comemoração perpétua. A importância desta festa é demonstrada pelo fato de que na época de Cristo era a festa por excelência, a grande festa dos judeus. O rito não só olhava retrospectivamente para aquela noite no Egito, mas, também, antecipadamente, para o dia da crucificação. A santa ceia é algo parecido com a páscoa e a substitui no Cristianismo. De igual maneira, esta olha em duas direções: atrás, para a cruz, e adiante, para a segunda vinda (1 Co. 11.26).

Dali para frente, os israelitas haviam de consagrar ao Senhor, para serem seus ministros, os primogênitos dentre seus filhos, e também os de seus animais, pois pela provisão da páscoa os havia comprado com sangue e pertenciam a Ele. A aplicação espiritual ensina que Deus nos redime para que o sirvamos: “Ou não sabeis... que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus” (1 Co 6.19, 20).

Nós, os protestantes preferimos celebrar a páscoa de forma introspectiva, contemplando aquele momento na qual Cristo ofereceu sua vida! Preferimos celebrar ao Senhor por ter-nos fornecido com seu sacrifício a possibilidade de salvação de nossas vidas para estar com Ele para sempre.

Muitos a comemoram de maneira extravagante; o que denota pouco ou nenhum temor pelo fato e pela data. Aliás, para muitos, esse feriado será somente, e tão somente, uma oportunidade para passear, dançar, descansar, ir á festas, etc. Mas, esse feriado está cheio de simbolismo cristão. E, para isso precisamos atentar!

Deus convida todos a se lembrarem de seu Filho Amado, e se lembrarem de sua atitude altruísta de entregar Sua própria vida em favor de muitos.

Que Deus possa salvar muitas vidas nestes dias!! 


Fonte: HOFF, Paul. O Pentateuco. Editora Vida. São Paulo. 1990, pg. 118 e 119 

2 comentários:

AMOR EM ARTE BRASIL disse...

Olá querida Aliane, estou passando pra ver as novidades e te desejar uma Páscoa com muita luz e paz, que o Senhor Jesus se faça presente em seu lar, bjkkk no coração =*
Mônica

Danielle Cruz disse...

Olá. Vim te convidar a participar da promoção de 1 ano do meu blog. Tem premiação para o sorteado e para quem tiver maior citação de indicação.
Venha, vou adorar a sua participação.
Beijos,
Danielle
www.mundoevarte.blogspot.com

Deus te ama tanto !!!!

*